Manter o ritmo de produção de uma empresa é fundamental para que o trabalho flua adequadamente e renda o esperado. Cada item produzido representa um maior rendimento financeiro e, consequentemente, capital para que a empresa cresça. Nesse contexto, para certificar-se de que todos os recursos estejam sendo bem aproveitados, é fundamental conhecer a capacidade produtiva do seu negócio.

Se você deseja saber como medir a capacidade de produção da sua empresa, continue lendo este post e entenda o que é capacidade produtiva, como identificá-la para que seja o mais eficiente possível e, finalmente, como fazer o cálculo dessa capacidade.

O que é capacidade produtiva?

Capacidade produtiva é quanto uma empresa é capaz de produzir, em termos de produtos ou serviços, em um determinado período. Assim, ela nada mais é do que um indicador para representar a razão entre a velocidade com que a empresa opera e o saldo resultante da sua atividade. Uma indústria, por exemplo, a mede pela quantidade de itens que consegue produzir.

Antes de conhecer a capacidade da sua companhia, é necessário saber que todas as empresas têm a sua, e é fundamental conhecê-la para que seu negócio alcance e mantenha o sucesso.

Como identificar a capacidade produtiva do seu negócio?

Com os passos a seguir, é possível conhecer o quanto sua empresa consegue produzir em um determinado período de tempo levando em consideração diversos aspectos. Confira!

Produção por tempo

A capacidade de produção do negócio começa a ser verificada ao calcular quantas unidades chegam até o fim da linha de produção em um certo período de tempo. Alguns produtos podem ser quantificados por minuto e outros precisam ser medidos por hora.

Além disso, é preciso medir o tempo que um colaborador leva, em média, para fazer todo o seu trabalho, incluindo as pequenas pausas e a limpeza dos equipamentos utilizados. Essas premissas devem ser tomadas como base para os cálculos de capacidade produtiva da empresa.

Tempo produtivo

Após conhecer o tempo levado para a produção do produto, é preciso multiplicá-lo pelas horas trabalhadas. O ideal é tomar como base um dia completo de produção, que, em geral, dura 8 horas. Assim, se a sua produção for de 100 unidades a cada hora, serão produzidas, diariamente, 800 unidades.

Com esse número, é possível avaliar se fabricação está na média, abaixo ou acima do que demanda o mercado, bem como apurar quanto da capacidade produtiva é utilizada perante os recursos que foram investidos.

A importância de quantificar o tempo é fundamental para o planejamento da empresa. Dessa forma, o gestor é capaz de verificar o tempo necessário para cumprir determinadas demandas.

Interrupções de produção

Por mais efetiva que seja uma produção, em um dia de trabalho ela sempre sofrerá interrupções por diversos motivos, pois é praticamente impossível manter um dia inteiro de trabalho a todo vapor.

Nesse quesito, além das perdas já esperadas, como os intervalos para os colaboradores e as manutenções agendadas, é preciso acompanhar as pausas (perdas) que não foram previamente calculadas. São exemplos:

  • maquinários que apresentam defeitos inesperadamente;
  • paradas por falta de matéria-prima;
  • funcionários ausentes.

Após anotar todas as intercorrências, tire uma média e a use no cálculo da capacidade de produção.

Cabe salientar que esse tipo de parada pode variar, por isso, a média não será sempre a mesma. Dessa forma, para que o processo de produção ocorra sem atrasos e seja mantido em pleno funcionamento, é essencial contar com um equipamento reserva, para usá-lo quando o principal precisar passar por ajustes mecânicos.

Para as eventuais faltas de funcionários, é recomendado que a empresa treine alguns funcionários para realizar atividades de diversos setores, para o caso da necessidade de substituir um colega por um determinado período.

Como fazer o cálculo da capacidade produtiva?

Após identificar os fatores que definem a capacidade produtiva do seu negócio, é preciso determinar o quão eficiente é a sua produção, ou seja, qual a máxima quantidade de unidades é produzida com base nos recursos de que sua empresa dispõe.

Antes de calcular, é necessário saber diferenciar a produtividade real (ou instalada) da efetiva e da realizada. Suas definições estão a seguir.

Capacidade real ou instalada

Trata-se do máximo de produtividade possível utilizando todo o maquinário disponível 24 horas por dia (1440 minutos), sem pausas.

O número exato é alcançado medindo-se o tempo necessário para a produção de determinado item e, em seguida, multiplicando-se pelo tempo disponível em um dia inteiro.

Por exemplo: se, em uma fábrica de perfumes, o tempo usado para fazer um frasco fosse (hipoteticamente) de um minuto, ela é capaz de produzir diariamente 1.440 perfumes. Note que a quantidade seria idêntica aos minutos de um dia inteiro.

No entanto, além de poucas empresas funcionarem durante 24 horas, é raro que um item seja produzido em exatamente um minuto. Por isso, medir a capacidade efetiva se faz necessário.

Capacidade efetiva

Já a produtividade efetiva é o quanto a indústria é capaz de produzir diariamente, considerando tudo o que já foi mencionado anteriormente.

No exemplo da fábrica de perfumes e considerando-se que nela se trabalhe 8 horas diárias (480 minutos), além de levar em consideração as variáveis e se as pausas para manutenção fossem de 5% do tempo disponível, a capacidade produtiva seria de 456 embalagens em um dia.

Isso porque 5% do tempo trabalhado de fato (480 minutos) é igual a 24 minutos. Devemos subtrair esse valor do total de perfumes que podem ser produzidos em 8 horas.

Resumindo:

  • 1440 minutos (24 h) = 1440 frascos;
  • 480 minutos (8 h) = 480 frascos;
  • 480 minutos – 24 minutos (tempo de pausas) = 456 frascos.
Capacidade realizada

Esse cálculo tem por finalidade fazer estimativas do quanto de fato é possível se produzir levando-se em consideração o quanto foi manufaturado em um período passado, considerando-se todos os eventos inesperados.

Em nosso exemplo da fábrica de perfumes, se faltou energia elétrica por quatro horas do total de horas trabalhadas (ou seja, 240 minutos), a capacidade produtiva realizada foi de 228 frascos naquele período. Esse cálculo permite prever as perdas (em tempo) que podem ocorrer a depender de diversas variáveis. Convém registrar esses valores para consultas futuras, ao ocorrerem situações parecidas.

Como fazer o cálculo da taxa de eficiência da produção?

Para fazer esse cálculo, basta dividir a produtividade realizada pela efetiva, e o resultado será sua taxa de eficiência. Tomemos um exemplo:

  • unidades produzidas em uma hora: 100;
  • período: 8 horas;
  • perdas que foram planejadas: 2 horas por dia, portanto 200 unidades;
  • perdas que não foram planejadas: 1 hora por dia, portanto 100 unidades;
  • capacidade real (instalada): 2400 itens diários;
  • capacidade efetiva: 800 unidades por dia;
  • capacidade realizada: 500 unidades por dia
  • sua taxa de eficiência será de 0,625.

Mas o que esse valor significa? Levando-se em conta que a capacidade realizada não é maior do que a efetiva, conclui-se que o maior valor possível é 1. Assim, quanto mais próximo desse valor a taxa estiver, maior será a capacidade produtiva da empresa.

Ao conhecer o quanto sua companhia é capaz de produzir por um determinado período, ainda é possível minimizar perdas e rever métodos de produção. Com isso, é possível aumentar a sua produção e ainda deixar sua empresa mais sustentável.

Quer saber mais sobre a capacidade produtiva do seu negócio? Siga nossas redes sociais e acompanhe as atualizações do mercado! Estamos no Facebook, no Linkedin e no Instagram. Let´s talk!

Talk NMB
Content Team

Escreva um comentário